29 de nov de 2016

A Hora do Rush (1998)



Mãos ao alto, Players!

O ano era 1998. Para muitos apenas mais um ano comum na história da humanidade, sem grandes emoções ou marcado pelo fracasso brazuca na Copa do Mundo da França. No que diz respeito ao cinema, a sétima arte tentava respirar após o estrondoso sucesso de Titanic - lançado um ano antes - que lançara um tal de Leonardo Di Caprio para o estrelato. Mas, abrindo o horizonte de eventos para uma análise mais ampla do universo podemos notar que entre o Titanic e a Copa do Mundo muitas outras coisas estavam acontecendo. A aproximadamente duas décadas um astro do cinema chinês emplacava, praticamente, um mega sucesso por ano! Parece absurdo, certo? Só que para Jackie Chan isso é fato! Desde o megassucesso Police Story, lançado em 1985, o ator passou a figurar no topo das bilheterias ocidentais pelo menos uma vez por ano; "A isso é mentira!". Bom, se quer tirar a dúvida basta citar alguns nomes desses sucessos como, por exemplo: Armour of God (Armadura de Deus 1986), Project A part II (Projeto China 2 - A vingança 1987), Dragons Forever (Dragões para sempre 1988), Miracles (Chefão por Acaso 1989), Amor of God II: Operation Condor (Um Kickboxer muito louco 1990) e etc. Jackie vinha se superando a cada filme, quebrando recordes e alguns ossos também. Expliquem essa, ateus!! Afinal, contra fatos não há argumentos! Famoso por dispensar o uso de dublês nas cenas de ação de seus filmes, Chan coleciona lesões em sua extensa carreira como ator. Contudo, apesar do sucesso consolidado na terra do sol nascente, do outro lado do oceano as coisas não andavam tão bem. O ator ainda não tinha conseguido conquistar o publico ocidental com seus truques, chutes e malabarismos.
Hey mundo, cheguei!
Após algumas tentativas frustradas de conseguir um lugar ao sol nas terras ocidentais, Jackie Chan chegou quebrando, literalmente, tudo - inclusive um tornozelo - em Rumble in the Bronx (na tradução Brazuca, Arrebentando em Nova York) filme lançado em 1995. Desse modo, Jackie apresentou o seu cartão de visita para o cinema americano e tornou possível que a indústria do Tio Sam o convidasse para novos projetos, sendo, por esse motivo, que Chan estrelou o filme  A Hora do Rush, ou no inglês, Rush Hour (1998).


Para alguns o filme apenas seguiu um tendência de películas iniciada com o megassucesso Um tira da pesada (1984), seguida por Máquina Mortífera (1987) e Bad Boys (1992), porém apesar de possuir certas semelhanças na atmosfera desses quatros conjuntos de filmes, eles também possuem as suas particularidades. A Hora do Rush trouxe, além de Jackie Chan, uma estrela em ascensão nos cinemas americanos: Chris Tucker. Tucker tinha surgido para o publico ocidental com sua tradicional voz fina e um humor bem típico dos anos 90, repleto de referên
Policia de Los Angeles!
cias a cultura pop. Chris Tucker começou sua carreira na comédia com o Def Comedy Jam em 1992, e seu primeiro filme foi House Party 3 como Johnny Booze. No ano de 1995 ele conseguiu fazer barulho nos cinemas americanos estrelando a comédia Friday (Sexta-feira em Apuros) junto com o rapper Ice Cube. Nesse filme, Tucker interpretou o personagem Smocke onde conseguiu grandes elogios devido a sua atuação. A carreira de Chris Tucker é mesmo uma caixinha de surpresa, pois, no mesmo ano que ele despontou como uma grata surpresa nos cinemas americanos, o ator também participou do videoclipe de 2pac com Dr.Dre chamado California Love. Impressionante, não é mesmo? Mas, é como diz o poeta: é preciso se adaptar ao meio em que vive. Em 1997 participou de The Fifth Element (O Quinto Elemento) junto com Bruce Willis e Moneu Talks (Tudo por Dinheiro) com Charlie Sheen.

No diz respeito ao filme A Hora do Rush o roteiro segue a risca as grandes produções dos anos 90, ou seja: culturas em confronto, temperamentos em chamas, frases de efeitos, muitas explosões e cenas de ação conduzem o filme. O Inspetor de Hong Kong, Lee (Jackie Chan) e o Detetive do FBI de Los Angeles, James Carter (Chris Tucker)são de mundos totalmente diferentes e descobrem uma coisa em comum: eles não se suportam. Até ai, tudo bem, nós já vimos isso antes em algum outro filme perdido por no tempo e espaço. Os dois são obrigados a trabalhar juntos para capturar um criminoso e salvar a filha do cônsul chinês de onze anos de idade. O que faz de A Hora do Rush um verdadeiro sucesso é a forma como filme foi organizado na tela.

Na América eu sou Michael Jackson e você Tito.
Escrito por Ross LaManna e Jim Kouf, esta película trabalha bem as diferenças culturais de países que vivem nos extremos do mundo. Se, por um lado, Jackie trouxe do oriente suas acrobacias e cenas de lutas impressionantes, Tucker chega com o humor afiado e as improvisações mais típicas dos humoristas americanos. Dessa maneira, pouco importa a história - que, geralmente, em filmes assim ficam em segundo plano - o público vai ao cinema para ver as estrelas atuando juntos. Por esse motivo, Rush Hour entra para o time de filmes que você assiste porque é legal! Um bom passa tempo, um filme para rir e se divertir. Se você procura um filme com história, inteligente e que traz algo reflexões para sua vida... não assista esse filme! O resultado nas bilheterias foi super positivo. No primeiro final de semana de exibição, A Hora do Rush já tinha faturado todo o valor do orçamento, ou seja, 33 milhões de dólares. Seu resultado final no globo inteiro foi de mais de 244 milhões de dólares. A New Line, com toda certeza, ficou feliz com isso. Tamanho sucesso rendeu duas continuações, uma série de TV (2016) e abre negociações nos dias atuais para uma quarta sequência.

Recepção

"Lee, aja naturalmente!"
Rush Hour estreou no topo das bilheterias da América do Norte com um montante total, em seu primeiro final de semana, de $33 milhões em setembro de 1998. A película arrecadou, ao longo de seu tempo de exibição nos cinemas, mais de $244 milhões em todo o mundo, o que fez do filme um sucesso de bilheteria. No que diz respeito a crítica o filme foi bem recebido. obtendo reviews positivas dos críticos. Roger Ebert elogiou tanto Jackie Chan, por suas sequencias de ação sem o uso de dublês, quanto Chris Tucker, por seus atos cômicos durante o filme. No aspecto geral, a dupla foi muito elogiada, tornando-se um dos filmes mais queridos pelo mundo do cinema e fãs de filmes de ação. O filme possui atualmente um índice de aprovação de 61% no Rotten Tomatoes (clique aqui e confira) e também possui uma classificação de 6.8/10 no IMDb (clique aqui para conferir).

Prêmios

"Eu não disse para me esperar?"
  • ALMA Awards 1999.
    • Vencedor: Melhor Atriz em um Filme (Elizabeth Peña).
  • BMI Film and TV Awards 199.
    • Vencedor: BMI Film Music Award (Lalo Schifrin).
  • Blockbuster Entertainment Awards 1999.
    • Vencedor: Favorita Dupla-Ação/Aventura (Jackie Chan e Chris Tucker).
    • Nomeação: Atriz Coadjuvante Favorita-Ação/Aventura (Elizabeth Peña).
  • Bogey Awards (Alemanha) 1999.
    • Vencedor: Bogey Awards em Prata.
  • Golden Screen (Alemanha) 1999.
    • Vencedor: Golden Screen.
  • Grammy Awards 1999
    • Nomeação: Melhor Composição Instrumental Escrita para um Filme ou para a Televisão (Lalo Schifrin).
  • NAACP Image Awards 1999.
    • Nomeação: Melhor Ator em um Filme (Chris Tucker).
  • Nickelodeon Kids' Choice Awards (Estados Unidos) 1999.
    • Nomeação: Favorito Ator do Filme (Blimp Award) (Chris Tucker).
  • MTV Movie Awards 1999.
    • Vencedor: Melhor Dupla na Tela (Jackie Chan e Chris Tucker).
    • Nomeação: Melhor Performance de Comédia (Chris Tucker).
    • Nomeação: Melhor Luta (Jackie Chan e Chris Tucker) (Para a luta contra a gangue chinesa).
    • Nomeação: Melhor Canção Filme (Jay-Z) (Por Can I Get A).

 Confira algumas curiosidades sobre o filme

What?
  • Segundo o diretor Brett Ratner, durante a cena no Grauman onde o Detetive Carter suborna Stucky para obter informações, houve improvisação tanto de Chris Tucker como de John Hawkes, que eles acharam impossível uma edição desta cena como uma conversa coerente. Por esse motivo, há erros de continuidade no diálogo.
  • O afro e o bigode na foto no crachá de Carter foram adicionados após uma reflexão tardia na pós-produção.
  • Chris Tucker improvisou grande parte do seu diálogo, como ele normalmente faz em seus filmes.
  • De acordo com o diretor Brett Ratner, o filme é o primeiro lançado nos EUA com Jackie Chan no papel falando inglês sem qualquer tipo de dublagem. De acordo com Ratner, antes deste filme, Chan sempre teve sua voz dublada em seus papéis por causa de sua incerteza em falar inglês. Para este filme, no entanto, Ratner convenceu-o a renunciar a dublagem para dar mais autenticidade ao seu personagem.
  • Alguns atores foram considerados para fazer os papéis de Lee e Carter. São eles: Martin Lawrence, Eddie Murphy, Dave Chapelle para Carter  e Chris Farley para interpretar Lee. Acredito que a escolha final foi a melhor mesmo!
Vai pela direita que eu vou pela esquerda!
  •  Brett Ratner é um grande fã de Jackie Chan e acompanhava a carreira do ator antes de trabalharem juntos. Por esse motivo, o diretor sentiu que o público americano não estaria familiarizado com as piadas já utilizadas por Jackie em outros filmes, o que permitiu a Ratner reutilizar alguns de seus gags. Por exemplo, a cena em que o Inspetor Lee agarra acidentalmente os seios de Johnson é uma referência ao filme de Jackie Chan Mr. Nice Guy - Bom de Briga (1997).
  •   Quando Lee e Carter chegam ao teatro chinês do Grauman, Carter mostra ao Inspetor Lee as pegadas de John Wayne. A referencia, nessa parte, acontece porque Jackie Chan é um fã assumido de John Wayne, tanto que em Bater ou Correr (2000) o personagem de Chan é batizado com o nome do astro americano.
  • Na cena em que Carter atira no carro de Clive e ele explode, Tucker começa a dançar imitando Michael Jackson. Curiosamente, três anos após o lançamento do filme, Chris Tucker foi convidado por Michael para participar do clipe da música, "You Rock My World". Chris e Michael eram bons amigos.
  • Quebrando tudo, na moral!
  • Chris Tucker pediu para ver o roteiro de Fakin 'Da Funk (1997) - um filme de comédia americano dirigido por Tim Chey - antes de assinar com a New Line para fazer A Hora do Rush (1998).
  •  A placa do carro de James Carter tem a mesma combinação de três letras da placa da van que a filha do cônsul está detido.
  •   Os takes utilizados para mostrar os cenário onde o Consulado Chinês estava localizado também foram utilizados como o cenário para a mansão Wayne no Batman (1966).
  • Jackie Chan quase foi morto ao filmar a cena em que ele está quase sendo esmagado por caixas de metal. As caixas se chocam e, por uma fração de segundos, não esmagam Jackie Chan. Essa é uma das primeiras cenas do filme, clique aqui é assista os bastidores da cena.
  • Quando Chris Tucker diz: "Qual de vocês me bateu?" É uma referencia ao filme Os Sete Samurais (1954). Na ocasião, um bêbado Samurai é atingido na cabeça com um pedaço de pau e diz: "Qual de vocês me bateu?"
  • Após a conclusão das filmagens e o termino da edição do filme, um vídeo promocional do filme foi apresentado ao público em uma sessão exclusiva. O review feito pelos participantes foi fundamental para o sucesso do filme, uma vez que disseram faltar cenas de ação com Jackie Chan. O pedido foi prontamente atendido pela New Line que, diante disse, enviou a equipe para fazer novos takes acrescentando nas cenas em que Jackie Chan lutava vários bandidos; principalmente durante o confronto de encerramento. Para a felicidade da nação, também foi filmada a cena com os vasos e artefatos chineses (onde Lee briga com os bandidos e protege os vasos).
  • O filme é considerado um remake de Red Heat (1988). 

Veredito na Escala Michael Jackson

Escala Michael Jackson!
A escala Michael Jackson é um sistema de classificação criado pelo Fl Play para organizar e reagrupar todos os grandes feitos, filmes, séries e ícones da cultura pop em geral. Ela consiste em uma escala básica (de 0 a 10), possuindo alguns bônus qualitativos que podem subir ou descer a posição do que esta sendo avaliado. Nesse sentido, utilizando para avaliar A Hora do Rush (1998) na escala Michael Jackson, nós do Fl Play resolvemos dar, por veredito, nota 7 com acréscimo de Billie Jean. Ou seja, Rush Hour é um clássico da cultura Pop e marcou uma geração. Espero que tenham gostado dessa análise de A Hora do Rush (1998). Em breve estaremos trazendo as resenhas e vereditos das duas continuações desse filme, com muitas curiosidades sobre os bastidores. Continuem acompanhando nosso blog e sugiram nos comentários filmes, séries, animes e etc. que gostariam de ver abordados por nossa equipe! Grande abraço e até a próxima.

Ansioso pela continuação!

Winchester!
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário