20 de jul de 2014

Você sabia? Curiosidade sobre corujas!





Sarcasmos, elas não entendem!
            E ai meus queridos, tudo bem com vocês? Bom, espero que sim! Estão prontos para fazer uma pequena viagem pelo mundo animal? Não, por favor, não! Isso mesmo, hoje falaremos um pouco sobre as misteriosas, e porque não simpáticas, corujas! Para começar vamos com uma pequena definição sobre esses seres estranhos, mágicos e interessantes que vamos tratar aqui: momento discovery  as corujas são aves de rapina, tímidas, solitárias, discretas e de voo silencioso, graças ao formato e à textura de suas penas. Na cultura grega eram tidas como símbolo da sabedoria, já em outras culturas esta ave era símbolo de ligação com o mundo espiritual. Sim, existe toda uma áurea místicas sobre as corujas, a questão é que durante a história - desde que o mundo é mundo - elas foram associadas a várias coisas (feitiçaria, o sobrenatural, deuses e etc.) e, por isso, elas foram por muito tempo tidas como aves de mal agouro.

Tira logo a foto!

            Uma curiosidade sobre o nome delas é que o termo corujas é um termo comum para as aves Strigiformes (não, não se refere a um autobots ou um decepticons), aves, estas, que tem características noturnas e são, geralmente, de rapina. Enquanto que no amazonas, sim aquele pedaço verde do mapa do Brasil, algumas corujas são chamadas pela comunidade local de murutucu. (okey, não faça ideia do que significa isso). Ao todo existem aproximadamente 126 espécies diferentes de corujas, sendo que 18 delas podem ser encontradas em terras tupiniquins. Até onde se sabe, as corujas não transmitem doença - ou seja, pode abraçar uma coruja a vontade; mas, é importante ser lembrado: a ave pica!
            Quanto a superstição popular: durante muito tempo acreditou-se que as corujas tinham a capacidade de adivinhar a morte, logo, se uma coruja piasse na sua janela alguém iria morrer! Outros diziam que elas gostavam de azeite, pois visitavam as igrejas durante a noite - nas igrejas encontravam se lamparinas de azeite acesas. Mas, na realidade, esses pobres bichinhos entravam em busca de insetos que eram atraídos pela luz das lamparinas.E, por fim, na Grécia, o símbolo da deusa grega da sabedoria, Atena, é a coruja, por isso ela é considerada o símbolo da filosofia. Passemos agora a dez curiosidades sobre esses seres:

10) Pescoço articulado e sistema circulatório especial:
What's the problems, human?

            As corujas são muito variadas no que diz respeito ao seu tamanho e, também, quanto a coloração de suas penas; porém, elas possuem uma características em comum: todas podem virar sua cabeça em até 270º. Incrível, não? As corujas conseguem fazer tal feito porque sua estrutura corpórea é composta por 14 vértebras - 7 vértebras a mais em comparação com as aves "comuns". São essas vértebras a mais que dão as corujas a capacidade de girar o pescoço dessa forma tão impressionante, enquanto que outros animais, ao tentaram fazer isso ou ao fazerem por acidente, sofrem traumas sérios e, até mesmo, acabam por causar a interrupção do fluxo sanguíneo. Outro ponto interessante de ser abordado é que, em algumas pesquisas recentes, os cientistas descobriram que as corujas possuem um sistema circulatório especial que alimenta o seu cérebro. Ora, a questão é que quando o giro de sua cabeça corta a circulação sanguínea, esse sistema especial alimenta a circulação de seus olhos e da sua cabeça. Além disso, seus vasos sanguíneos possuem uma espessura maior em locais específicos para que não rompam durante o movimento brusco.

9) Corujas se alimentam de corujas?

Eu não acredito nisso!

            As corujas podem se alimentar de outras corujas? Yeah, entre elas rolam uma espécie de "canibalismo", ou, de forma mais formal, algumas espécies menores servem de presas para as maiores; é a lei da selva, baby! O mais curioso disso é que, em alguns lugares do mundo, estáticas comprovam que há um declino no número de corujas - em sua maioria de espécies de pequeno porte; sendo que, em contra partida, há um aumento no número de corujas de grande porte. A explicação para isso? As próprias corujas estão causando o sumiço de outras corujas! E a gente achava que somente os humanos eram capazes de criar um sistemas para explorar uma classe oprimida! Hora de rever os conceitos, amigos!

8) Olhos 'vidrados':
Eu estou te vendo!
            A visão das corujas é algo que realmente merece destaque! Ora, elas possuem uma visão que permite enxergar o mundo em formas de tubo, centralizando o foco na presa e aumentando sua precisão, percepção e profundidade - pensem em uma câmera de alta resolução! Mas, tudo na vida tem seus "probleminhas"; se, por um lado, o olho da coruja funciona como uma luneta, auxiliando e aumentando sua precisão na caça, por outro lado, isso faz com seus olhos fiquem 'travados'. Exatamente, o olho da coruja não se mexe. É "preso". Isso explica, também, porque seu pescoço pode virar 270º; veja bem, se seu olho não pode se mover, então, é preciso que seu pescoço possa virar o máximo possível, para que você observar uma área maior! Por fim, se as corujas são ótimas caçadoras, por causa de seus olhos precisos, elas também são presas "vulneráveis" pela limitação de movimento dos mesmos! Duvidas? Darwin explica!

7) Alimentação, versatilidade é tudo:
Como um bom elfo, essa coruja não se da bem com anões!
            A alimentação das corujas é algo bem simples, prático e direto: em sua maioria são carnívoras. Porém, sim sempre há um porém, uma espécie dentre todas elas - as chamadas corujas-elfos - adicionaram ao seu cardápio frutas e sementes! É amigo, lei da sobrevivência! As corujas-elfos, também, espalham esterco envolta do ninho para atrair besouros e se alimentarem deles; como quem diz: de fome eu não morro!
 
6) O canto das corujas:
Superstar!
            As corujas são estereotipadas por seu canto, mas algumas espécies se diferenciam das demais. Corujas-das-neves, habitantes do extremo norte, produzem um som parecido com aves marinhas. Já a grande Coruja-das-torres tem uma vocalização peculiar, sendo muitas vezes confundida com gritos sobrenaturais. Tá vendo porque elas ganharam fama de "aves das trevas!".

5) Corujas caçadoras:
Coruja Winchester, caçando tudo e todos!
            Entre os maiores caçadores alados do planeta destaca-se uma espécie de coruja, o bufo-real. Esta ave é um predador de topo, alimentando-se ferozmente de porcos-espinhos, filhotes de javalis, raposas e macacos. Sua dieta também inclui peixes enormes e garças. Existe relatos até de ataque a lobo. Segura essa coruja ousada, em caso de visualizar uma: fuja pras colinas! Vai que ela resolve te 'predar'!

4) Cactos e corujas:

Você disse pipoca?

            O deserto de Sonora, na América do Norte, abriga uma espécie de cacto que pode crescer mais de dez metros. Este cacto é furado por uma espécie de pica-pau. Posteriormente, corujas-duende habitam o local escavado e espreitam para fora do buraco com seus enormes olhos amarelos. As florestas de cactos também são habitadas por uma outra espécie de coruja, a coruja-pigmeu. Se, por um caso, você achar que um cacto esta te olhando, não se preocupe, é uma coruja!

3) Aves sobrenaturais? Bichos de estimação?

Ownt! *-*

             Embora as corujas carreguem uma fama de sábias, elas também estão associadas à bruxaria, magia negra e símbolos demoníacos. Também ficaram famosas na cultura popular, como Hedwig, a coruja-das-neves da série Harry Potter. As corujas também são usadas por seres humanos no esporte de falcoaria, comum na Europa. Elas são treinadas para caçar e retornar com a presa.

2) Beija-flor? Como assim? WTF?

Sou uma coruja!

            As corujas são conhecidas como aves de rapina. Apesar disso, não compartilham nenhuma relação com águias e falcões, conhecidas como aves de rapina diurnas. A taxonomia é uma ciência controversa e alguns métodos de classificação, como o modelo Sybli-Alquist, identificaram as corujas como sendo mais próximas dos beija-flores e das aves canoras (como os pardais, é mole?). Acredita-se que a semelhança observada entre corujas e aves de rapinas se deve à convergência evolutiva. Essa discussão é boa para um boteco, com sinuca e sodinha! Garçom, please!

1) Espécie monogâmica: 

Ah, o amor!
            Monogâmicas por natureza, as corujas vivem em família, e o cuidado com os filhotes é papel tanto do macho quanto da fêmea. A comunicação entre os casais de corujas, através de cânticos noturnos, é extremamente eficiente, o que já não podemos dizer da comunicação entre muitos casais de humanos. São os animais ensinando aos homens como amar, respeitar e valorizar a família! Fica a dica!


Obrigado pela paciência, volte sempre!

             É isso galera, se você chegou ate aqui eu agradeço muito pela paciência de ter lido tudo isto que escrevi. Se puder deixar seu comentário abaixo, seja elogiando, criticando, opinando e etc. Esta é a primeira resenha de muitas que virão. Forte abraço! Até mais queridos marujos!




By: Winchester!
 
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Inicio

2 comentários:

  1. Aown, achei muito fofo saber que elas vivem em família =), achei que eram solitárias..Acho válido marcamos de ir no boteco discutir sobre taxonomia das corujas e beber sodinha =D..Não gostei de saber que elas são canibais e nem sabia da existência das de grande porte e malDosas, então #PartiuColinas se eu ver alguma...
    o brasão do meu uniforme da escola do Ens Fundamental II era uma coruja ;)
    Adorei a matéria, mas ainda não tô com vontade de ter uma de estimação..kkkkk

    ResponderExcluir
  2. BELO TRABALHO , AS CORUJAS MERECEM.

    ResponderExcluir